Boa tarde! Hoje é quinta-feira, 22/10/2020.
 
CUT Nacional
CUT RS
CNM/CUT
FTMRS
Gross & Klein


Mobilização Nacional dos Metalúrgicos
Dia Nacional de Lutas mobilizou 170 mil metalúrgicos em oito estados brasileiros
Chuva atrapalhou mas não impediu que algumas importantes mobilizações fossem feitas no RS
19/09/2007


A Confederação Nacional dos Metalúrgicos (CNM/CUT) divulgou o balanço do “Dia Nacional de Lutas”, realizado na terça-feira, 18 de setembro, avaliando como bastante positivo o movimento criado para lutar pela criação de um piso salarial nacional de R$ 1,3 mil, por redução da jornada de trabalho das atuais 44h para 40h semanais, sem redução de salários, contra a terceirização que precariza as relações de trabalho, pela ratificação da Convenção 158 da OIT, contra a demissão imotivada, por um contrato coletivo nacional de trabalho (CCNT), entre outras reivindicações. Segundo o levantamento, o Dia Nacional de Lutas mobilizou cerca de 170 mil metalúrgicos em oito dos 27 estados e territórios brasileiros.

Os atos foram organizados em conjunto com a Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM/FS) e tiveram o apoio das Federações e sindicatos cutistas, entre eles o nosso. “Foi uma das maiores mobilizações coletivas da categoria no país. Mas o objetivo é ampliar tais mobilizações, já que a classe patronal metalúrgica aparentemente não deu muita importância às reivindicações nacionais da categoria”, revela Carlos Alberto Grana, presidente da CNM/CUT. Cabe lembrar que na semana passada o presidente do Sinfavea (sindicato dos fabricantes de veículos), Jackson Schneider, declarou a “absoluta impossibilidade de atendimento do CCNT” aos trabalhadores metalúrgicos. Neste caso, propostas de um piso nacional de salário, data-base unificada, redução da jornada e cláusulas sociais comuns para todos os metalúrgicos brasileiros ficariam para uma outra época e conjuntura. “Não podemos aceitar que nesta conjuntura de crescimento e sucesso das empresas metalúrgicas, a classe patronal venha dizer que é impossível atender pelo menos algumas reivindicações”, declara o dirigente sindical.

Segundo o levantamento da CNM/CUT, apesar da chuva que atrapalhou as paralisações, os atrasos na pegada e as assembléias nas portas de fábricas, aqui no RS a ação sindical conseguiu mobilizar cerca de 17 mil metalúrgicos. Os dirigentes sindicais resolveram priorizar a ação nas maiores empresas da região metropolitana, como a Gerdau de Sapucaia do Sul e a MWM International e Agco, de Canoas. Nosso sindicato participou ativamente da mobilização que paralisou a Gerdau de Sapucaia do Sul.

Mais informações sobre a mobilização nacional podem ser obtidas no portal dos metalúrgicos do Brasil (www.cnmcut.org.br).


Por: Geraldo Muzykant - Assessor de Imprensa

 
   
Rua Alberto Schmidtt nº 208 - Centro - Sapiranga/RS - Fone: 3599-1225 - e-mail: stmetal@gmail.com
Copyright © Sindicato dos Metalúrgicos de Sapiranga :::
Expediente