Bom dia! Hoje é quinta-feira, 22/10/2020.
 
CUT Nacional
CUT RS
CNM/CUT
FTMRS
Gross & Klein


CLASSE TRABALHADORA LUTANDO POR DIGNIDADE
Metalúrgicos promovem mobilização pelo fim do fator previdenciário e reajuste das aposentadorias
O objetivo principal é pressionar o presidente Lula para não vetar as medidas aprovadas no Congresso
28/05/2010


No Rio Grande do Sul, a federação e os sindicatos dos metalúrgicos de todo o Estado iniciaram nesta sexta-feira (28), em frente à sede regional do Ministério da Fazenda em Porto Alegre, uma intensa mobilização para pressionar o presidente Lula a não vetar as medidas aprovadas pelos Congresso Nacional. Nossa base metalúrgica foi representada por 12 companheiros(as).


Mesmo tendo sido aprovado no Congresso e no Senado com amplo apoio das centrais sindicais, segundo indicações do Ministro da área econômica, o projeto poderá ser vetado nos próximos dias pelo presidente Lula.

Importante destacar que as votações da Câmara e Senado tiveram diferentes motivações para aprovar a matéria. De um lado, setores do movimento sindical, movimentos sociais e de esquerda, defendendo os interesses dos trabalhadores(as). De outro, setores conservadores da sociedade, os mesmos que foram responsáveis pela criação deste dispositivo em 1998 durante o governo FHC, que pretendem produzir um constrangimento para o Governo Lula e gerar desgaste na avaliação de sua gestão.

Independente dos motivos que os levaram a aprovação, é importante salientar a luta dos trabalhadores para acabar com este dispositivo cruel que mudou as regras do jogo e distanciou a aposentadoria dos trabalhadores. Precisamos mostrar que o Brasil tem condições financeiras para manter o fim do fator e pressionar o governo para que não vete o projeto.

Juntamente com a CUT, outras centrais sindicais e organizações dos movimentos sociais, os metalúrgicos promoveram um grande ato das 11h às 14 horas. A vigília deve continuar na segunda-feira, 31 de maio, no mesmo local. O movimento também pede que o governo sancione o reajuste dos aposentados e pensionistas que recebem acima de um salário mínimo. O aumento aprovado foi de 7,72%.

Para o presidente da CNM/CUT, Claudir Nespolo, os metalúrgicos do Rio Grande do Sul estão sendo protagonistas na luta de uma importante conquista para os trabalhadores do Brasil. “Estamos iniciando uma batalha para que não haja o veto ao fim do fator previdenciário. Com a mesma intensidade que pressionamos o Congresso, estamos pressionando o governo federal, pois não podemos admitir que um governo que está mudando o país para melhor vete o fator”, declarou.

Nespolo lembrou, ainda, que o fator previdenciário é uma lei embutida na época que se flexibilizava todos os direitos dos trabalhadores. “A manifestação é importante, pois aqui é um símbolo do poder. Estamos determinados em ficar em vigília, representando os 127 mil metalúrgicos do nosso Estado”, disse.

É importante transformar a segunda-feira, dia 31 de maio de 2010, em dia nacional de pressão pelo NÃO AO VETO DO PRESIDENTE LULA, com ampla manifestação junto às sedes regionais do Banco Central.

Participaram da vigília representantes da Federação dos Metalúrgicos do RS, Sindicato dos Metalúrgicos de Porto Alegre, Sapiranga, Horizontina, Canoas, Santa Rosa, Sindicato dos Sapateiros de Novo Hamburgo, Sindisindi, Federação dos Bancários, Fórum Sindical de Saúde do Trabalhador (FSST), entre outras entidades.



Por: Assessorias da CUT-RS e sindicatos metalúrgicos de Porto Alegre e Canoas

 
   
Rua Alberto Schmidtt nº 208 - Centro - Sapiranga/RS - Fone: 3599-1225 - e-mail: stmetal@gmail.com
Copyright © Sindicato dos Metalúrgicos de Sapiranga :::
Expediente