Boa noite! Hoje é Domingo, 25/10/2020.
 
CUT Nacional
CUT RS
CNM/CUT
FTMRS
Gross & Klein


Associados podem receber de volta o desconto assistencial
Os não-associados também podem obter a devolução, desde que se associem até o fim de agosto
Veja aqui todas as demais notícias publicadas no último boletim do sindicato, n° 188
07/08/2010


Diretoria do sindicato considera injusta a cobrança de quem já contribui o ano inteiro com a luta. Para receber o dinheiro de volta, os associados devem apresentar para a tesouraria do sindicato o contracheque do desconto até o dia 31 de agosto. Os não-associados também podem obter a devolução, desde que se associem até esta data.

Mais uma vez, conquistamos um bom dissídio com recuperação das perdas, aumento real, avanços no adicional noturno e no auxílio creche, além da manutenção de outras dezenas de conquistas obtidas ao longo dos anos, constantes em nossa Convenção Coletiva de Trabalho (dissídio).

No entanto, como todo o ano acontece, foi incluído na Convenção Coletiva o desconto assistencial de 6%, que serve para cobrir as despesas extras da campanha salarial e fazer com que quem não é sócio(a), mas se beneficia do reajuste e outras vantagens do dissídio, possam contribuir de alguma forma com a luta.

Como, por imposição do acordo, o desconto é feito de todos (associados e não associados), o sindicato faz questão de devolver logo depois os valores respectivos para os associados, porque entende que eles já contribuem o suficiente por meio das mensalidades e não podem ser penalizados com mais um desconto. “É injusta a cobrança de quem já contribui o ano interiro com a luta”, resume o tesoureiro Fernando Diefenbach.

ATENÇÃO: O sindicato dá a oportunidade para que os não-associados recebam o desconto assistencial de volta. Mas pra isso acontecer, é preciso que eles se associem e passem a contribuir com a luta. Neste ano, quem se associar até o dia 31 de agosto pode requerer a devolução do assistencial, sem problemas. Portanto, quem não é sócio, associe-se logo para receber de volta o assistencial.


AJUDE O SINDICATO AJUDAR VOCÊ. SINDICALIZE-SE!

Quanto mais associados o sindicato tiver, mais condições financeiras terá para investir na campanha salarial e mais força política, mais respaldo ele vai ter na mesa de negociação. Mais condições ele terá de retornar o investimento na luta e na assistência por meio dos convênios e de uma estrutura voltada a atender o maior número possível de associados e dependentes.

Portanto, sendo sócio você só tem a ganhar! Ajude o sindicato ajudar você!

Se você ainda não é sócio, associe-se! Se você já é, ajude o sindicato a conquistar mais associados!


SAIBA PORQUE É IMPORTANTE SER SÓCIO(A) DO SINDICATO

O nosso sindicato tem o papel fundamental de representar a categoria, ser o guardião das conquistas, das leis e da dignidade dos trabalhadores e trabalhadoras da base. Ele foi criado para lutar - não só na época do dissídio, mas durante todo o ano - por melhores salários e condições de trabalho, lutar para que a classe patronal respeite a legislação trabalhista e trate com dignidade os trabalhadores e trabalhadoras de nossa base dentro das empresas.

Para nós, considerando que tem muito patrão por aí que paga um salário baixo a seus “colaboradores” e não se digna a dar um mínimo de assistência social a eles, o sindicato também existe para dar um mínimo dessa assistência à categoria, sobretudo aos trabalhadores e trabalhadoras de empresas que não têm planos de saúde e são carentes de convênios e benefícios sociais, mesmo sabendo que não é papel do sindicato dar assistência médica e odontológica para a categoria.

Portanto, o nosso sindicato é pra lutar e dar assistência. Mas, para que ele possa cumprir com esse importante papel, precisa da colaboração de todos, ter no quadro de associados uma rede de parceiros e companheiros, e não gente que não faz nada pra ajudar e só fica criticando, se deixando levar pelo patrão. Pense nisto!


VEJA O QUE O SINDICATO OFERECE PARA QUEM É SÓCIO(A)

O sindicato é pra lutar, conquistar bons dissídios, garantir o cumprimento das leis trabalhistas e resolver os inúmeros problemas que afligem a categoria. Mas o sindicato também é pra dar assistência, auxiliar seus associados e dependentes a ter uma vida melhor. Por isso, a entidade luta para firmar convênios, reduzindo os custos com consultas, exames, aquisições etc. Assim, o sindicato contribui para que o associado e seus dependentes economizem e tenham uma vida melhor. Veja abaixo alguns benefícios extras para nossa categoria, especialmente para quem opta por ser associado de nosso sindicato.

Convênios médicos e odontológicos
Diversas especialidades. Destacam-se o convênio com o Dr. Alexandre, cirurgião-dentista, e o Centro Médico Sapiranga, que oferece várias especialidades médicas e exames laboratoriais.
Psicóloga
Convênio com a Dra. Natália Caroline Schilling Dias, da Clínica de Reabilitação Therapie, em frente do Hospital de Sapiranga.
Ótica - Convênio com a Ótica TRI-JÓIA (Sapiranga e Nova Hartz), que oferece consultas com os três médicos oftalmologistas (oculistas) conveniados com a ótica.
Assistência jurídica
Com o escritório do Dr. Valdecir Mendonça Elói, advogado para causas cíveis, e com o escritório das Dras. Silvana Moura e Mirian Mealho para as causas trabalhistas, previdenciárias e de aposentadorias.
Comunicação e transparência
O sindicato possui um site na internet, edita materiais impressos de qualidade e produz o programa “Tribuna Metalúrgica”, na Rádio Comunitária Ferrabraz - 87.5 FM.
Patrimônio e Lazer
O sindicato oferece o salão de eventos para realização de festas, reuniões e celebrações diversas, com cozinha, churrasqueira, utensílios, e capacidade para reunir cerca de 150 pessoas. Outra opção de lazer e integração é o convênio firmado com a Federação dos Metalúrgicos, que disponibiliza as casas da colônia de férias em Cidreira, desde que o(a) trabalhador(a) se inscreva com antecedência e pague as taxas de estadia.

MULHERES METALÚRGICAS UNIDAS POR MAIS E MELHORES DIREITOS

A CUT realizou entre os dias 21 e 23 de junho a 2ª Conferência Nacional das Trabalhadoras Metalúrgicas, em São Paulo. Do encontro, saíram propostas de resoluções para o 8º Congresso dos Metalúrgicos, que acontece no próximo ano.

A 2ª Conferência contou com a participação das trabalhadoras gaúchas que integram o 1º Coletivo de Mulheres Metalúrgicas FTMRS, criado em junho passado e que possui representantes dos sindicatos de Sapiranga, Canoas, Canela, Porto Alegre e São Leopoldo.

Propostas de resoluções aprovadas na Conferência:
Criação de um Coletivo Nacional de Mulheres da CNM/CUT, com autonomia financeira - Promoção de cursos de formação específicos para a saúde da mulher trabalhadora - Inserção das mulheres metalúrgicas nos espaços públicos, como os conselhos municipais - Participação efetiva das mulheres nas mesas de negociação, invocando o critério de cotas (pelo menos 30% de mulheres) - Promoção de uma campanha nacional por creches públicas de qualidade, feita pela CNM/CUT - Pautar em boletins, jornais e informativos o tema da violência contra a mulher - Incluir nos estatutos dos sindicatos cláusulas prevendo punição nos casos comprovados de assédio - Garantir a participação das mulheres dirigentes sindicais nas atividades nacionais da CNM/CUT, com recursos para creche dos filhos com idades até 12 anos, respeitando as orientações do ECA.

Encontro de gênero
Nos dias 3 e 4 de julho, trabalhadoras e trabalhadores metalúrgicos da CUT reuniram-se em São Leopoldo para o Encontro Regional de Gênero da Região Sul, que teve como tema principal o enfrentamento à violência contra a mulher, além de discutir outras pautas como oportunidades da mulher no mercado de trabalho, cláusulas dos acordos coletivos relacionadas a gênero e a possível eleição da primeira mulher para presidente do Brasil.

O encontro contou com a presença da vice-presidente de nosso sindicato, Olinda Lopes, e abordou as políticas públicas de enfrentamento contra a violência doméstica e a conquista na região de cursos profissionalizantes para as mulheres que se encontram em condições de agressão ou de risco, para que elas possam criar independência financeira e adquirir coragem para romper com o agressor. Também foi discutida a cultura em relação ao gênero, as leis trabalhistas que beneficiam as mulheres, os aspectos morais e sexuais em relação aos direitos humanos e a lei Maria da Penha.


INFORMES

MAIS REAJUSTE SALARIAL

Desde o 1° dia de agosto, a nossa base metalúrgica está ganhando mais. Nesta data, todos têm um reajuste de 2,38%, relativo ao aumento real conquistado no dissídio. O reajuste completa os 8% conquistados na campanha salarial deste ano.
Atenção: Fique atento ao seu contracheque. Se o patrão não corrigir direitinho o seu salário ou querer pagar horas extras e outros benefícios com base no salário de julho, entre em contato imediatamente com o sindicato.

AUXÍLIO EDUCAÇÃO

Segundo o nosso dissídio, quem recebe salários inferiores a três pisos e comprove para a empresa estar matriculado e frequentando aulas em cursos do ensino fundamental, médio ou superior, pode requerer até o dia 15/09/2010 o "auxílio escolar", no valor equivalente a 50% do salário piso admissional, hoje R$ 302,50.
Atenção: Para ter direito ao benefício, o(a) trabalhador(a) deve anexar no requerimento o comprovante de matrícula e frequência até 10 dias antes da data prevista para o pagamento. Portanto, é bom se apressar, pois o prazo se encerra em breve.


Por: Assessoria de Comunicação do Sindicato

 
   
Rua Alberto Schmidtt nº 208 - Centro - Sapiranga/RS - Fone: 3599-1225 - e-mail: stmetal@gmail.com
Copyright © Sindicato dos Metalúrgicos de Sapiranga :::
Expediente