Bom dia! Hoje é sábado, 24/10/2020.
 
CUT Nacional
CUT RS
CNM/CUT
FTMRS
Gross & Klein


Ganho real está presente em 97,2% das negociações coletivas do RS no 1º semestre de 2012
01/09/2012

Os resultados das negociações coletivas são mais uma vez objeto de análise do DIEESE – Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. Foram analisados os reajustes salariais registrados no SAS-DIEESE – Sistema de Acompanhamento de Salário, que abrange os trabalhadores pertencentes aos setores da indústria, Comércio e Serviços. As negociações coletivas acompanhadas concentraram-se nas datas-bases de abril e maio (52,8%), seguida da data-base março (22,2%) e janeiro (13,9%). Com menor concentração de negociações, verificam-se as datas-bases de fevereiro e junho, cada uma com o percentual de 5,6%.

Sobre os reajustes salariais no 1º semestre de 2012, 97,2% das unidades de negociação, consideradas no SAS-DIEESE, conquistaram reajustes salariais acima da inflação em relação ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC/IBGE). Esse percentual foi o mesmo registrado em igual período do ano anterior.

Contudo o destaque das negociações coletivas no 1º semestre de 2012, são os percentuais de ganho real conquistados. De janeiro a junho de 2012, conforme gráfico 2, houve um crescimento significativo no valor dos ganhos reais incorporados aos salários. Das categorias analisadas, 44,4% obtiveram aumentos reais nas faixas de 2,01 a 3,0 pp, bem acima do verificado em 2011, quando o percentual de categorias nessa faixa era de 30,6%. A segunda faixa com maior concentração foi de 1,01 pp a 2pp acima da inflação, com 1/3 das negociações (33,3%). O percentual de categorias com aumentos acima de 3,01% nesse semestre também cresceu, passando para 5,6% das negociações em 2012 frente aos 2,8% verificados no primeiro semestre de 2011. Esse fato pode indicar um movimento das faixas de reajustes com ganhos menores para aquelas com ganhos mais elevados. Ao comparar com a inflação média no período, os reajustes analisados no RS pelo SAS-DIEESE resultaram em um ganho real de 1,97% acima do INPC-IBGE. Em igual período do ano passado, o ganho real médio havia sido de 1,66%.

Quanto à distribuição das negociações, a indústria é responsável por 55,6% das informações, 27,8% do segmento de Serviços e 16,7% do Comércio. Uma analise dos reajustes voltados para os setores demonstra que a Indústria e o Comércio registram reajustes acima do INPC, ou seja, com aumentos reais. No setor de Serviços, 90% das negociações conquistaram ganhos reais e 10% obtiveram reajuste igual ao INPC da data-base.

O maior aumento real registrado na pesquisa foi observado em uma unidade de negociação do setor de serviços, a qual atingiu o percentual de ganho de 7,59%, seguido por uma negociação da indústria que conquistou 4,25%. Considerando os últimos quatro anos esses foram os maiores ganhos médios reais obtidos setorialmente.



Resultados Brasil - 1º sem./2012

- No primeiro semestre de 2012, um percentual expressivo de unidades de negociação conquistou aumento real: 97%.

- Em 2012, o valor médio do aumento real foi de 2,23%, sempre na comparação com o INPC-IBGE.

- A Indústria e o Comércio apresentaram percentuais muito semelhantes de reajustes acima da inflação (98%)



Perspectivas 2º semestre 2012

Para o segundo semestre, espera-se um comportamento mais positivo ao registrado no primeiro, ou seja, com ampliação dos ganhos salariais. Esse cenário mais favorável está vinculado à própria conjuntura econômica que tem registrado baixas taxas de desemprego, expansão das ocupações, crescimento dos rendimentos, inflação estável e retomada dos indicadores de crescimento econômico. Esses elementos tendem a ampliar o poder de negociação dos sindicatos junto às questões relacionadas aos contratos coletivos de trabalho.

Por: Dieese

 
   
Rua Alberto Schmidtt nº 208 - Centro - Sapiranga/RS - Fone: 3599-1225 - e-mail: stmetal@gmail.com
Copyright © Sindicato dos Metalúrgicos de Sapiranga :::
Expediente