Bom dia! Hoje é sexta-feira, 14/08/2020.
 
CUT Nacional
CUT RS
CNM/CUT
FTMRS
Gross & Klein


Pra continuar lutando com liberdade e autonomia, sindicato deve ser sustentado por toda a categoria
02/08/2007

Apesar de todas as dificuldades impostas pela conjuntura, conseguimos neste mês fechar mais um Dissídio com recuperação das perdas, aumento real e manutenção de outras dezenas de conquistas obtidas ao longo dos anos, constantes em nossa Convenção Coletiva de Trabalho, fato que deve ser comemorado por todos.

Porém, nessa época de desconto assistencial, sempre aparece alguém questionando o papel e a serventia do sindicato perante a categoria e a sociedade, dizendo que não precisa ou não depende da entidade para nada, preferindo esquecer o quanto o sindicato foi importante para que o seu salário fosse reajustado e seus benefícios mantidos. A maioria destes são influenciados por chefetes e patrões que fazem de tudo para enfraquecer a luta e o sindicato, ficando com o caminho livre para explorar, descumprir leis e dissídios.

Se perguntar para estes metalúrgicos que são contra as formas de sustentação do sindicato qual a proposta deles, perguntar o que eles fizeram para ajudar os seus companheiros de categoria a conquistar um bom dissídio, com aumento real, perguntar porque eles não foram nas assembléias e tiveram peito de questionar e votar contra o assistencial e, por último, já que não reconhecem e dizem que não precisam do sindicato, se estariam dispostos a abrir mão dos aumentos conquistados pelo sindicato, certamente eles tirariam o corpo fora, iriam desconversar, minimizar a situação etc.

O sindicato não foge deste e de qualquer outro debate. Por isso, neste momento, quer incentivar a seguinte reflexão: pra quê serve o sindicato?

Para nós, o sindicato tem o papel fundamental de representar a categoria, ser o guardião das conquistas, das leis e da dignidade dos trabalhadores e trabalhadoras da base. Essencialmente, o sindicato é pra lutar - não só na época do dissídio, mas durante todo o ano - por melhores salários e condições de trabalho, lutar para que a classe patronal respeite a legislação trabalhista e trate com dignidade os trabalhadores e trabalhadoras de nossa base dentro das empresas.

Para nós, considerando que tem muito patrão por aí que paga um salário baixo a seus “colaboradores” e não se digna a dar um mínimo de assistência social a eles, o sindicato também existe para dar um mínimo dessa assistência à categoria, sobretudo aos trabalhadores e trabalhadoras das empresas de menor porte, que normalmente não têm plano de saúde e é carente de convênios e benefícios sociais.

Portanto, sindicato é pra lutar e dar assistência. Mas, para que ele possa cumprir com esse importante papel, precisa da colaboração de todos, ter no quadro de associados uma rede de parceiros e companheiros, e não gente que não faz nada pra ajudar e só fica criticando, se deixando levar pelo patrão.

Por: Geraldo Muzykant, assessor de Imprensa

 
   
Rua Alberto Schmidtt nº 208 - Centro - Sapiranga/RS - Fone: 3599-1225 - e-mail: stmetal@gmail.com
Copyright © Sindicato dos Metalúrgicos de Sapiranga :::
Expediente