Bom dia! Hoje é sexta-feira, 30/10/2020.
 
CUT Nacional
CUT RS
CNM/CUT
FTMRS
Gross & Klein


Brasil cria 1,5 milhão de empregos formais e bate novo recorde
28/08/2008

A geração de emprego com carteira assinada bateu um novo recorde nesses sete primeiros meses de 2008, alcançando a marca histórica de 1,564 milhão de empregos. Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho, isso representa um aumento de 5,4% no ano e de 27% sobre o recorde anterior - 1,2 milhão de empregos em todo o ano de 2004.

Somente em julho deste ano foram criadas 203.218 vagas, 60% a mais do que o registrado no mesmo mês do ano anterior e o melhor resultado para meses de julho. O recorde anterior era julho de 2004, que registrou 202.033 novos postos de trabalho.

Nos últimos 12 meses, a geração de empregos formais já encosta nos 2 milhões. Foram 1,959 milhão de vagas abertas. Os números do Caged consideram a diferença entre contratações e demissões em um mesmo período. Para o deputado Eudes Xavier (PT-CE), os números dão a dimensão do desenvolvimento sustentável do país.

"Com uma política econômica sólida é possível manter o crescimento sustentável com geração de empregos formais", afirmou. Segundo o petista, o presidente Lula mantém fiel o tripé do seu programa de governo: crescimento econômico, distribuição de renda e combate à pobreza. "A forma mais democrática de combater a pobreza é criar postos de trabalho e isso tem sido uma prática diária desse governo", acrescentou.

Na opinião do deputado MARCO MAIA (PT-RS), é a estabilidade econômica conseguida no governo Lula que permite o aumento no número de postos de trabalho. "Quando um país tem credibilidade as empresas investem e isso é bom para o país e é bom para a população", afirmou.

Serviços - O setor de serviços foi o que mais abriu vagas neste ano. Foram 490.105 novos postos de trabalho, 4,29%, resultado também recorde. Em seguida, fica a indústria de transformação, com 355.396 novos postos, o que representa saldo 5,07% maior. Em termos percentuais, os destaques positivos foram a agricultura, com 18,14%, e a construção civil, registrando 15,18%. Regionalmente, os destaque são o número absoluto no Sudeste, com 1,027 milhão, e o crescimento no Centro-Oeste, com 7,54%, ambos recordes. Segundo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o fato de todos os setores registrarem crescimento recorde neste ano mostra que o crescimento do emprego é uma tendência generalizada.

Por: Adriana Rodrigues - Assessora de Imprensa

 
   
Rua Alberto Schmidtt nº 208 - Centro - Sapiranga/RS - Fone: 3599-1225 - e-mail: stmetal@gmail.com
Copyright © Sindicato dos Metalúrgicos de Sapiranga :::
Expediente