Bom dia! Hoje é quarta-feira, 05/08/2020.
 
CUT Nacional
CUT RS
CNM/CUT
FTMRS
Gross & Klein


Preços continuam em queda em 14 capitais
02/10/2008

Os preços dos gêneros alimentícios essenciais mantiveram, em setembro, a tendência de queda já verificada no mês anterior, ainda que em ritmo menor que em agosto. Catorze das 16 capitais onde o DIEESE realiza a Pesquisa Nacional da Cesta Básica. Apenas em Florianópolis (2,04%) e Rio de Janeiro (0,42%) houve elevação. Mas, ao contrário de agosto quando as retrações superaram 10,0% em quatro localidades, desta vez os maiores recuos foram de 7,34%, em Belém; 6,96%, em Salvador; 5,28%, em Aracaju e 5,15%, em Curitiba.

Com novo recuo do custo da cesta ocorrido em setembro, a variação acumulada no ano também diminuiu na maior parte das cidades pesquisadas, e agora, 11 localidades acumulam, nos últimos nove meses, alta abaixo de 10,0%, com destaque para Belém (0,62%), Aracaju (2,86%) e Goiânia (4,72%). As maiores elevações ocorreram em Florianópolis (17,10%), Curitiba (16,49%), João Pessoa (14,66%) e Brasília (14,39%).

Nos últimos 12 meses - de outubro de 2007 a setembro último - os aumentos em todas as capitais pesquisadas continuaram a ser muito expressivos, ainda que acumulem variações inferiores às apuradas para o período de um ano encerrado em agosto. As maiores altas verificaram-se em Brasília (25,18%), Goiânia (24,49%), Curitiba (23,49%), João Pessoa (22,94%) e Belo Horizonte (22,37%). Aracaju (12,03%), Porto Alegre (12,27%) e Natal (12,60%) apresentaram as menores variações acumuladas no período.

Após cinco meses, a capital paulista, voltou, em setembro, a ter o maior custo para a cesta básica, com o valor dos produtos alimentícios essenciais chegando a R$ 234,68. Em Porto Alegre, o custo ficou em R$ 232,16 e em Florianópolis foi de R$ 223,47. As cestas mais baratas foram registradas em Recife (R$ 167,76) e Fortaleza (R$ 169,67).

O recuo generalizado do custo da cesta, em setembro, determinou redução no valor do salário mínimo necessário, que assim ficou em R$ 1.971,55, o que corresponde a 4,75 vezes o piso vigente, de R$ 415,00. Em agosto, seu valor correspondia a R$ 2.025,99.

Por: Dieese

 
   
Rua Alberto Schmidtt nº 208 - Centro - Sapiranga/RS - Fone: 3599-1225 - e-mail: stmetal@gmail.com
Copyright © Sindicato dos Metalúrgicos de Sapiranga :::
Expediente