Bom dia! Hoje é Domingo, 25/10/2020.
 
CUT Nacional
CUT RS
CNM/CUT
FTMRS
Gross & Klein


Em festa no ABC, Lula diz que metalúrgicos são os caras
13/05/2009

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva elogiou os metalúrgicos, na noite desta terça-feira, durante a comemoração dos 50 anos do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo.

Lula disse que nunca teria chegado onde chegou se não fosse com o apoio da categoria. "Não existe a possibilidade de um homem sozinho chegar onde eu cheguei. Tenho clareza de que se não fosse a peãozada, eu não teria chegado. Devo isso a cada metalúrgico anônimo". "Metalúrgicos, vocês são os caras" disse ele em referência ao presidente americano, Barack Obama.

O presidente americano se referiu a Lula como "o cara", durante a reunião do G20 no começo de abril em Londres. Ao falar com o premiê da Austrália, Kevin Rudd, Obama disse apontando para Lula: "esse é o cara! Eu adoro esse cara!".
Foi com o tradicional "ole, ole, ole, olá, Lula, Lula" transformado em "ole, ole, ole, olá. Dilma, Dilma", que o sindicato recebeu Lula e a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, no ato solene.

Dilma foi aplaudida de pé por alguns metalúrgicos ao entrar no auditório do sindicato e recebeu um buquê de flores. Em seu discurso, o presidente do Sindicato, Sérgio Nobre, falou sobre a luta da ministra contra o câncer. "Nós somos uma categoria guerreira que reconhece uma outra guerreira", disse.

Sem citar a sua doença nem a homenagem recebida, Dilma falou sobre o papel das mulheres na luta dos metalúrgicos citando o exemplo da primeira-dama, Marisa Letícia que apareceu no documentário 50 anos de luta, produzido especialmente para o evento.

"Quero fazer um cumprimento especial a Marisa, que apareceu no filme e mostra claramente o papel das mulheres na luta", disse a ministra.
Dilma também lembrou a ditadura e as lutas políticas pela democratização do País. "O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC representa um papel simbólico porque foi uma referência para todos os brasileiros que lutaram contra a ditadura. As lutas democráticas ganharam uma força muito grande", disse.

Em seu discurso de 25 minutos, Lula lembrou que Dilma foi presa na ditadura, enumerou ex-presidentes do Sindicato e metalúrgicos históricos, mas teve de ser interrompido em virtude do horário de decolagem do avião presidencial. "Preciso sair daqui às 20h30 porque o avião presidencial precisa sair de Congonhas até no máximo 23h, senão amanhã sai uma materinha bem bonita dizendo que eu quebrei a lei do silêncio", afirmou presidente.

Projeto

Durante a solenidade, o presidente Lula recebeu do Sindicato uma proposta de projeto para que o modelo de negociações feito pelos metalúrgicos do ABC, Taubaté, Sorocaba e Salto seja estendido a outras regiões do país. "Não basta que os sindicatos estejam preparados para negociar, é preciso que as empresas também estejam aptas e que passem a enxergar os sindicatos como algo necessário e importante dentro da empresa", disse o presidente do sindicato, Sérgio Nobre. A promessa é de que o projeto na íntegra seja encaminhado ao presidente Lula em dois meses.

Por: Juliana Finardi - Terra

 
   
Rua Alberto Schmidtt nº 208 - Centro - Sapiranga/RS - Fone: 3599-1225 - e-mail: stmetal@gmail.com
Copyright © Sindicato dos Metalúrgicos de Sapiranga :::
Expediente