Boa noite! Hoje é segunda-feira, 03/08/2020.
 
CUT Nacional
CUT RS
CNM/CUT
FTMRS
Gross & Klein


6ª Marcha da Classe Trabalhadora - CUT e centrais ampliam luta pela redução da jornada
26/10/2009

A CUT e as demais centrais sindicais vão realizar no dia 11 de novembro a 6ª Marcha da Classe Trabalhadora, em Brasília. A mobilização nacional terá como foco principal ampliar a luta pela redução da jornada semanal de trabalho em nosso país.

Metalúrgicos do Brasil inteiro farão uma pressão ainda maior, pois, durante a semana, entre 9 de 12 de novembro, vão acampar na capital para cumprir uma agenda de reuniões, atos públicos, passeatas e outras mobilizações que visam amplificar a pressão e conquistar o apoio e o compromisso de autoridades para aprovar os projetos de interesse da categoria. Do RS, vai uma caravana de mais de 200 metalúrgicos, entre eles, 10 dirigentes representando a nossa base metalúrgica.

Além da redução da jornada, também estão entre os principais pontos da pauta:
- atualização dos índices de produtividade da terra e aprovação da PEC 438/01 contra o trabalho escravo;
- um novo marco regulatório para o pré-sal, que prevê a garantia do controle estatal e social do petróleo e seus derivados em todo o território nacional e reafirme a nossa soberania;
- ratificação das Convenções 151 (sobre a garantia de negociação coletiva no serviço público) e 158 (que coíbe a demissão imotivada) da OIT;
- aprovação do PL 1621/07, sobre a regulamentação da terceirização e combate à precarização nas relações de trabalho;
- votação do PL 01/07 que efetiva a política de valorização do salário mínimo.

Foco será a redução da jornada de trabalho

O objetivo da marcha é pressionar os parlamentares para que votem a favor de projetos de interesse da classe trabalhadora que ampliam direitos, geram empregos e ajudem o país a se desenvolver mais, com distribuição de renda, valorização do trabalho, sustentabilidade e respeito ao meio ambiente.

Entre esses projetos está a PEC 231/95, que reduz a jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais sem redução de salários, que também aumenta o valor do adicional de hora-extra para 75%. Segundo estudos do Diesse, a redução da jornada poderá gerar mais de 2 milhões de empregos e um círculo virtuoso na economia ao combinar ampliação de postos de trabalho, aumento do consumo, aumento da produção, diminuição dos acidentes e doenças do trabalho, maior qualificação do trabalhador e da trabalhadora e melhorias na distribuição de renda, tudo resultando em crescimento econômico e mais desenvolvimento para o país.

Por: Assessoria de Comunicação do Sindicato

 
   
Rua Alberto Schmidtt nº 208 - Centro - Sapiranga/RS - Fone: 3599-1225 - e-mail: stmetal@gmail.com
Copyright © Sindicato dos Metalúrgicos de Sapiranga :::
Expediente